RELAÇÃO DAS DORES DE CABEÇA E ODONTOLOGIA

Como se sabe a dor de cabeça pode ter muitas origens, todavia, a grande maioria das dores, são de origem muscular ou vascular. Apesar de difícil identificação das causas, as dores nevrálgicas e vasculares são tratadas quase que exclusivamente por médicos. Já as dores tensionais não são tratadas (ás vezes somente com analgésicos, com objetivo de relaxar a musculatura). As dores musculares são originadas pelo fato da pessoa manter a musculatura contraída por tempo prolongado, geralmente ocasionada pela tensão emocional.

Tem-se notado que a má posição dental, falta de dentes posteriores (principalmente), provoca uma alteração na posição da mandíbula, forçando a Articulação Temporo-Mandibular (ATM) e músculos da mastigação e posturais da cabeça, levando assim, à dores de cabeça. Isso pode ser detectado através de exames de avaliação dos movimentos mandibulares, apalpação da musculatura e da ATM para identificação muscular, e sons de "estalar" ao abrir e fechar a boca e barulhos como se fosse grãos de areia durante a mastigação.

Depois da identificação, podemos recomendar como meio de tratamento, a colocação de próteses para reabilitar a mastigação e altura da dimensão vertical (altura determinada pelo contato correto dos dente superiores com os inferiores) e para que a mastigação ocorra dos dois lados. Aparelho ortopédico orofacial, no caso de má posicionamento dental, atresia da maxila (maxila pequena e queixo para trás) e respiração bucal. Placa de mordida noturna (Bruxismo - ranger de dentes, e apertamento dental). No caso de desdentados totais, trocas periódicas (no máximo a cada cinco anos) das próteses, para reaver a dimensão vertical correta, perdida pela reabsorção óssea. Tem-se notado melhora em cerca de 80% dos casos de pacientes com dores de cabeça de origem tensional.